Campos electromagnéticos produzem alterações no Electroencefalograma

0
75
Campos electromagnéticos produzem alterações no Electroencefalograma
Campos electromagnéticos produzem alterações no Electroencefalograma

Alterações no Electroencefalograma (EEG) mostram uma inibição generalizada do sistema nervoso central, bem como certos padrões patológicos específicos

Além da inibição geral, Klimkova-Deutschova (1974) encontrou alterações pequenas, porém específicas, no EEG de muitos trabalhadores expostos a microondas na faixa de 3-13 centímetros. Tal incluiu ondas lentas sincronizadas de alta amplitude, semelhantes às observadas nas crises epilépticas. [1]

Diz-se que o EEG é uma ferramenta de diagnóstico importante que mostra objectivamente os efeitos das micro-ondas, mesmo quando os sinais clínicos são escassos.

Baranski e Edelwejn (1975) relataram que trabalhadores com maior exposição ocupacional a microondas geralmente exibem registos planos de EEG. [2]

Huai (1981), num exame a 106 trabalhadores expostos a microondas, encontrou um aumento nas ondas lentas (teta e delta) nos seus EEG. [3]

Mann e Roschke (1996) expuseram 14 voluntários masculinos saudáveis, com idades entre 21 e 34 anos, a um telemóvel digital durante a noite, a uma distância de 40 cm, de modo que, a densidade de potência que atingiu a sua cabeça foi de 50 µW / cm2. Foram observadas alterações específicas no seu EEG. A radiação também causou uma diminuição significativa na quantidade de sono REM. [4]

Sikorski e Bielski (1996) encontraram testes anormais de tolerância à glicose em 31 de 50 trabalhadores expostos a ondas de rádio. Desses, 10 também apresentaram EEGs anormais. [5]

Fontes:

[1] Klimkova-Deutschova, E. (1973). Neurologic findings in persons exposed to microwaves. In Biologic Effects and Health Hazards of Microwave Radiation: Proceedings of an International Symposium, Varsóvia, P. Czerski et al., eds., pp. 268-272.

[2] Baranski, S. & Edelwejn, Z. (1975). Experimental morphologic and EEG studies of microwave effects on the nervous system. Annals of the New York Academy of Sciences 247:109-116.

[3] Huai, C. (1981). Assessment of health hazard and standard promulgation in China. Biological Effects and Dosimetry of Non-ionizing Radiation, NATO Conference, Erice, Itália, pp. 627-644.

[4] Mann, K. & Roschke, J. (1996). Effects of pulsed high-frequency electromagnetic fields on human sleep. Neuropsychobiology 33:41-47.

[5] Sikorski, M. & Bielski, J. (1996). Disturbances of glucose tolerance in workers exposed to electromagnetic radiation. Medycyna Pracy 47(3):227-231.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here