As principais falhas na Teoria Malthusiana

0
8855
Sobrepopulação
Sobrepopulação

Thomas Malthus representou o paradigma de uma visão que ignora ou rebaixa os benefícios da industrialização ou do progresso tecnológico. Ernest Gellner afirmou em «Pós-Modernismo, Razão e Religião»: “Previamente, a Humanidade agrária vivia num mundo Malthusiano no qual a escassez de recursos em geral condenava o homem a apertadas formas sociais autoritárias, à dominação por tiranos, primos ou ambos”.

Para ele, a diferença entre as classes sociais era uma consequência inevitável. A pobreza e o sofrimento eram o destino para a grande maioria das pessoas, ou seja, na maneira de pensar de Malthus os futuros insucessos económicos eram destinados a um grande aglomerado da população, e contra isso não havia muito a fazer.

As principais falhas na teoria Malthusiana são:

• Corresponde a uma teoria preconceituosa, onde só é permitido o relacionamento sexual a quem possua dinheiro.

Malthus não levou em consideração o avanço tecnológico do homem no sector agrícola, como por exemplo: mecanização, irrigação, melhoramento genético e etc.

• A população do planeta afinal não duplicou a cada 25 anos, e a produção de alimentos acelerou-se graças ao desenvolvimento tecnológico.

A teoria, quando foi elaborada, parecia muito consistente. Os erros de previsão estão ligados principalmente às limitações da época para a colecta de dados, já que Malthus tirou suas conclusões partindo da observação do comportamento demográfico em uma determinada região, com população predominantemente rural, e as considerou válidas para todo o planeta no transcorrer da história, sem considerar os progressos técnicos advindos da natural evolução humana. Não previu os efeitos decorrentes da urbanização na evolução demográfica e do progresso tecnológico aplicado à agricultura.

Actualmente

O quadro socio-económico mundial do período após a Segunda Guerra Mundial, marcado por taxas de crescimento demográfico bastante elevadas no Terceiro Mundo, juntamente com a situação de fome e miséria, ressuscitaram as ideias de Malthus. Os neomalthusianos ou alarmistas, temerosos diante desse quadro assustador do Terceiro Mundo, passam a responsabilizar os países subdesenvolvidos e o elevado crescimento demográfico como os culpados pelo sucedido quadro de horror. Para os neomalthusianos a solução estava na implantação de políticas oficiais de controlo de natalidade mediante o emprego de pílulas anticoncepcionais, abortos, laqueamento das trompas, vasectomia, etc. Mas apesar de vários países terem adoptado essas medidas, a situação de fome e miséria continua a existir.

A explosão demográfica nos países subdesenvolvidos, acompanhada da escassez de alimentos e suas consequências catastróficas, provocou uma tendência internacional do uso do planeamento familiar (distribuição gratuitas de pílulas anticoncepcionais, de preservativos, entre outros meios contraceptivos).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here